NEUROCIRURGIÃ APRESENTA NOVIDADE PARA O CONTROLE DA DOR

 

A região Sul ocupa o primeiro lugar em um ranking brasileiro com mais queixas de dor (42%), de acordo com o primeiro estudo sobre a prevalência da dor crônica entre os brasileiros. O estudo foi conduzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com apoio da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor.
O trabalho foi feito ao longo de um ano, entre 2015 e 2016, com 919 pessoas entrevistadas de diversos estados. A região Sudeste (38%) e Norte (36%) ocupam respectivamente o segundo e terceiro lugar, e em seguida aparecem Nordeste (28%) e Centro-oeste (24%).


A dor é algo que incomoda, atrapalha as atividades e a rotina. Ela pode indicar algo grave e persistir por anos se não tratada. Algumas vezes ela não tem cura, mas pode ser controlada. Em Toledo, a médica neurocirurgiã Kelly Bordignon Gomes está com uma novidade para os pacientes com dor crônica.


É a implantação de um eletrodo de estimulação epidural, um equipamento que fica alojado na região posterior da medula espinhal e fica conectado a um gerador que manda estímulos para controle da dor. “Geralmente, ele é indicado para pacientes com diagnóstico de Síndrome Pós-Laminectomia, um tipo raro entre os operados de coluna lombar”. Além deste caso, a médica comenta que o equipamento tem outras indicações como neuralgia pós-herpética, síndromes vasculares crônicas, dor secundária a câncer e síndrome complexa de dor regional do tipo 1 e 2. Para ser submetido a esse procedimento, o sintoma principal é a dor, e uma dor crônica.


Fonte: Panorama Farmacêutica /Jornal do Oeste

VENHA FAZER PARTE VOCÊ TAMBÉM!